quinta-feira, 9 de julho de 2009

Limite


Estou no limite.

Maldito tempo que corre sem eu querer.


Estou exausta!


A vida as vezes se torna apenas uma sucessão de piadas, todas de humor-negro e o personagem central é você.


Hoje não há sol, nem chuva, hoje não há brilho nem escuridão, nem quente nem frio.

Hoje não há analgésico que me tire a dor de cabeça, não há calmante que me faça dormir.

Hoje não há absolutamente nada que me faça querer sair da cama ou mesmo abrir os olhos.

***

A dor dos outros dói em mim de um jeito tão estranho.
****

Percebo que nada une mais as pessoas que o sofrimento.
***

Talvez eu fique tão cansada no final dessa semana que eu realize meu desejo de dormir por pelo menos dois dias completos.
***

Talvez, se eu estivesse nos braços dele, o mundo parecesse menos cruel, e nenhum mal pudesse me atingir. E isso nem seria uma verdade, seria apenas um sentimento... mas seria bom mesmo assim.

Um comentário:

Flor disse...

Este teu escrito me fez lembrar de uma música:

"Socorro não sentindo nada,
Nem medo, nem calor, nem fogo
Não vai dar mais pra chorar
Nem pra rir...

[...]

Socorro!
Alguém me dê um coração
Que esse já não bate
Nem apanha
Por favor!
Uma emoção pequena qualquer coisa!
Qualquer coisa que se sinta...
Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva
Qualquer coisa que se sinta
Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva..."

Um beijo.