sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Coisas da vida...

O ser humano... bicho esquisito esse, anseia coisas e foge delas, anda sempre atrás do tempo. E a linha de chegada? Está sempre a vista, mas a cada metro que você anda é um metro que ela se distância de você, e nunca você chega, e sempre procura. E acha. Mas dificilmente acha exatamente o que estava procurando. Tudo na vida funciona, e nada funciona porque tudo depende de como seus olhos vêem e/ou o quanto você está disposto a se esforçar realmente por algo.

E quando nos esforçamos buscando algo que nem sabemos ao certo o que é?
- Que tal parar e pensar no que está buscando?
- Tá louca menina?! O tempo não pára pra gente pensar, se a gente pára, o cruel tempo corre sem a gente e ficamos pra trás, perdidos em um tempo que não existe mais.

A vida é assim, é cruelmente assim, acho que é por isso que a maioria das pessoas se recusa a pensar e é por isso que os felizes não assistem a telejornais. Mas eu acredito, acredito mesmo, que há solução. Não para os problemas do mundo. Mas há solução para os nossos problemas internos, só que todo mundo quer fugir.
E eu , em um ato de desespero, me pego em uma cena daquelas de filme de drama, gritando “Porquê? Porquê?” Ninguém acha resposta alguma quanto se omite da própria vida, então porque fugir?
Aí eu lembro que eu mesma digo pra todo mundo: Você é capaz de mudar apenas a você mesma, não o mundo em volta. Quem sabe mudando a si mesmo não pode ter uma boa influência nas coisas em volta? Mas nunca se sabe, o que se sabe é que você pode controlar a si mesmo. Então eu faço o que eu penso e eu acredito nas coisas que fazem sentido pra mim, ainda que eu não possa compartilhar com ninguém minhas idéias loucas. (Alguém aí? Alô?)
Tudo bem, eu gostaria de aprender com você que está aí do outro lado, ouvir uma voz que não seja a da minha mente, mas se você não quer, o que farei?
Eu prefiro não desistir de pensar. Prefiro ficar aqui pensando, tendo alucinações, devaneando, achar pedacinhos deste quebra-cabeça que é a vida, e me alegrar, porque meu pensar está acompanhado de sentir...
E é tão gostoso quando eu mergulho assim nas palavras... sentimentos que saem ou pulam para o papel.
Eu não entendo porque as pessoas fogem de respostas sem nem mesmos saber qual a pergunta. Não entendo porque correm atrás de coisas que logo podem acabar... trabalho, dinheiro, “vida social”, aparências... tantos enganos...

" Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente e nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido." (!!!)
Ghandi

4 comentários:

Pendréz Mentos disse...

hmmmmmmm....
mto bom o site...
parabéns...

Vento. disse...

respondendo: se tu tivesse lido com atenção, veria que no começo do texto está explicito: [...]"Procuro algo que possa matar a sede, algo que cure os lábios rachados, algo diferente de pedra e areia."[...]

Vento. disse...

well, aquele texto não fala da minha vida, então, só pra explicá-lo melhor: o que quis dizer foi que naquele lugar deserto (onde se pressupõe que as coisas todas já secaram) o cara já não encontraria mais nada. Que é encessário rumar pra outro lugar, prum outro "mundo", porque ali tudo o que havia ja tinha sido gasto pelo tempo e que o calor e a areia consumiram as sobras e não sobrou nada. Que não adianta caminhar cega e insistentemente por lá, que de nada adianta persistir ali.

Whatever, não quis ser estúpida no comentário anterior. Gosto muito das pessoas "de fora" que lêem e têm uma opnião sincera e inteligente pra dar. Volte sempre por lados de lá!

Beijo.

Fênix Dualista disse...

muito bom o texto.
meu medo nao é envelhecer, mas envelhecer sem ter vivido, por isso procuro sempre ter um objetivo na vida, e viver mesmo que nao entenda tudo o que me acontece.

abraço.