terça-feira, 1 de setembro de 2009


Ela acordou, tinha os cabelos desgrenhados, e no rosto as marcas do cobertor. Tirou delicadamente meus braços da cintura dela,pensando que eu ainda dormia. Caminhou na ponta dos pés até o banheiro, é incrível como ela é linda mesmo quando acorda. O perfume do banho impregnou o quarto. Eu não quis estragar aquele momento, eu gostava de observá-la.Não importa o quanto eu olhe pra ela, sempre descubro um detalhe novo, acredito que isso não vá acabar nunca.


Ela fez tudo com muito cuidado com medo que eu despertasse. Eu pude sentir o cheiro do café entrar no quarto, não muito tempo depois ela entrou, uma bandeja na mão com frutas, café, alguns biscoitos... colocou a bandeja do lado, aninhou-se nos meus braços e me beijou. E com uma voz suave, um pouco rouca, me disse:-Feliz bodas-de-ouro, meu amor!Eu apenas a abracei, e quis aproveitar cada momento. Porque pra amantes de mais de 70 anos, a vida começa a cada amanhecer...
******************
O Amor Bate na Porta
Carlos Drummond Andrade

...o amor, seja como for,é o amor.

Entre uvas meio verdes,meu amor, não te atormentes.
Certos ácidos adoçam
a boca murcha dos velhos
e quando os dentes não mordem
e quando os braços não prendem
o amor faz uma cócega
o amor desenha uma curva
propõe uma geometria.

Amor é bicho instruído.
****************

Um comentário:

Flor disse...

amor é amor. e só, e ponto. e pronto.
=)

ai, o amor.

Um beijo.