terça-feira, 11 de maio de 2010

Aprendi

Com relacionamentos anteriores aprendi:

Que nunca devemos deixar de ser o que somos, por mais que o outro pareça incrível, seja você. Ceder é bom, e válido. Ajustar-se ao outro é recompensador, mas nunca, NUNCA perca sua identidade. Você ter as suas diferenças vai ajudar o outro a aprender mais, vai mostrá-lo coisas novas, gostos, sabores, sons que você aprecia. Idéias novas. Tenha seu próprio gosto. Aproveite sim o que o outro tem a ensinar e a oferecer, e também ensine e ofereça alguma coisa. Um dia talvez vocês fiquem bem parecidos, mas a sua essência, sempre vai existir.
Aprendi que não devemos nos relacionar com quem conhecemos pouco. É importante ser alguém com quem podemos dividir, vivenciar juntos situações. Para amar alguém é preciso saber quem o outro é, afinal, não podemos amar uma idealização.
Aprendi que não devemos nos relacionar por carência, muito menos por conveniência.

E com meu amor verdadeiro, aprendi que quando se encontra O amor, não há nada que possa impedir. E eu poderia dizer várias coisas sobre como nós devemos lançar uma base sólida, falar sobre assuntos importantes, ter os mesmos ideais ajuda. Mas qualquer coisa que eu diga vai fazer meu amor parecer bem menos do que ele é. Palavras nunca vão explicar o que o amor verdadeiro é, porque o amor envolve razão, esta podemos explicar, mas é um sentimento. Sinta! E vai entender.

Um comentário:

Flor disse...

eu aprendi um bucadão de coisas com meu antigo e primeiro, e talvez único relacionamento. =)

e até arrisco dizer: eu não sou nada, nem um pouco parecida com quem eu fui naquela época, não sei se tem a ver mais com amadurecimento, dor ou experiência.

mas... "eu não sou eu, nem sou o outro, sou qualquer coisa de intermédio..."

e eu gosto muito de você!
=)