quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Ode a minha vizinha!

Leve para longe de mim
Toda tua amargura
Teus sujos ardis
E tuas palavras enganosas

Afasta de mim teus olhos frios
Teu furor insano
Pare com as armações
Já estou farta!

Procura pelos cantos onde passaste
A tua vida, a qual abandonaste
Procura também teu coração
E tenta trazer-lhe salvação

Um dia talvez descubras
Que vês todo dia teu inimigo ao espelho
Talvez neste dia te livres desta prisão
Esta onde tua própria mente te cativou

*****

Parece-me incompleto, mas só consegui chegar até aí... se alguém tiver ideia para terminar, termine e eu coloco novamente com créditos.

2 comentários:

Anônimo disse...

A luz pentrará teu coração
Então cairá a venda
E entenderá o mau praticado
Contra quem sempre ofereceu a outra face


Cairá, em prantos, de joelhos
De mim um sorriso
E uma mão estendida
Erguendo uma nova companheira.

Priscila Gomes disse...

Você está como anônimo... que pena. Gostei muito da conclusão! Postarei novamente em breve com a sua conclusão... e mais, torcerei para que assim seja.